Alimentação após a Cirurgia


Os primeiros dias de alimentação pós cirúrgica são específicos e devem ser seguidos para evitar algumas complicação.
As modificações ocorrem por fases: liquida, pastosa, purê, mole e consistência normal, mas deverá seguir de acordo com cada paciente.

Fase 1. Alimentação líquida restrita (7 dias)
Os alimentos estão na forma líquida (caldos), constituída de pequenos volumes, cerca de 100 a 150 ml, fracionados em 6 a 8 vezes ao dia, respeitando um intervalo de 2 horas entre as refeições. Os alimentos deverão ser tomados lentamente, demorando cerca de 40 minutos para ser ingerido.
A atenção especial nessa fase é a forma de ingestão dos alimentos, volume alimentar ingerido, fracionamento e preparo dos alimentos.
Essa fase é constituída de água, chá ervas, gelatina
diet, sucos naturais coados, caldos, sopas liquidificadas, leite desnatado, vitaminas ralas, iogurte dietético sem pedaços.
Recomendações: Atenção na forma
de ingestão dos alimentos – principalmente VELOCIDADE - e na hidratação, através da coloração da urina (urina escura pode ser sinal inicial da desidratação), sede e língua e boca secas.

Fase 2. Dieta Pastosa:

Esta fase caracteriza-se por consistência de sopa cremosa/pastosa.
Os alimentos da sopa deverão ser liquidificados e coados em peneiras fina e grossa, de acordo com orientação nutricional.
Nesta fase a quantidade a ser ingerida é a mesma da primeira semana, de 100 a 150 ml, de acordo com a tolerância do paciente.
Duração: 15 dias

Fase 3. Dieta de purê:
Inicia-se no final do primeiro mês de cirurgia e tem duração de 1 semana.
É uma sopa totalmente liquidificada e coada, onde ainda não existem pedaços de alimentos.
Essa fase é constituída de purês, pastas ou cremes, suflê, caldo de feijão, carne triturada ou moída, legumes ralados e sem casca.
Recomendações: Atenção na MASTIGAÇÃO, velocidade da ingestão dos alimentos e consistência.

Fase 4. Otimização da dieta, dieta branda.
Inicia por volta do 30º dia após a cirurgia. Os alimentos já estão próximos à consistência normal, mantendo-se a restrição à alimentos crus e com fibras.
Essa fase é constituída de alimentos na consistência normal, com tempo de cozimento aumentado, não se incluindo frituras.
Recomendações: Atenção quanto as escolhas dos alimentos ingeridos, optar por refeições nutritivas. Aplicar os conceitos da reeducação nutricional.
Tempo de duração: 1 semana


Fase 4. Adaptação final e independência alimentar:

ALIMENTACAO
Inicia com 1 mês e meio de cirurgia e evolui de acordo com as características individuais podendo iniciar-se um pouco antes ou um pouco depois. Dieta deverá ser normal, mantendo apenas o controle de volume e balanceamento nutricional.
As restrições alimentares serão em relação ao consumo de bagaços, sementes, cascas duras especialmente de verduras e legumes, alimentos como carnes duras, empanados e frituras.
Em geral deve-se procurar manter:
Plano alimentar com seis refeições fracionadas ao dia, pequenos volumes e freqüentes.
Mastigar muito bem os alimentos, alimentando-se ambiente tranqüilo e sem pressa.
Ingerir líquidos somente entre as refeições, nunca durante, preferindo água ou água de coco.
Não consumir doces e refrigerante
Procurar equilibrar a dieta ao longo do dia.
Parar de comer assim que sentir-se satisfeito.
Praticar atividade física diária
Retornar ao acompanhamento sempre que solicitado.


Clique aqui e envie sua receita para que ela seja publicada neste site.