ANTES E DEPOIS DA CIRURGIA

PLANEJAMENTO

• Tempo de internação habitual: 2-3 dias
• Se você mora a mais de uma hora de carro de Campinas, será solicitado que você providencie um local mais próximo nos dias após a alta hospitalar (pode ser um hotel ou casa de amigos ou parentes);
• Planeje-se para que alguém esteja disponível para transportá-lo para casa - ou outro lugar após o período de internação hospitalar.

INDO PARA O HOSPITAL

• Pare de fumar pelo menos um mês antes da cirurgia. Sem isso sua cirurgia não vai ser realizada. É fundamental para melhorar capacidade respiratória e diminuir riscos de pneumonia, trombose, embolia pulmonar e outras complicações evitáveis.
• Esteja em jejum absoluto (inclusive água) nas 12 horas que antecedem a cirurgia;
• Deixe seus objetos de valor em casa;
• Não esteja usando maquiagem, esmaltes ou jóias no hospital;
• Próteses dentárias, anéis, óculos, lentes de contato ou aparelhos de surdez deverão ser retirados antes da cirurgia;
• Chegue no hospital antes da hora planejada. Frequentemente ocorrem atrasos nos procedimentos de internação por vários motivos ou adiantamentos nos horários de cirurgias, e é bom que você já esteja lá.
• Se estiver usando alguma medicação, é bom que nos avise nas consultas para avaliarmos se é necessário suspendê-la antes da cirurgia.
• Quando você estiver pronto para receber alta, as últimas orientações de enfermagem serão dadas, e quem fará o seu transporte será chamado.

O que levar?

• Artigos de banheiro
• Camisola e/ou pijama ABERTOS NA FRENTE para facilitar curativos e exames do abdome
• Peças íntimas confortáveis
• Chinelo
• Toalha de banho
• Um par de meias elástica 3/4 (até o joelho) ou 7/8 (até a coxa) de média compressão, ou as meias de compressão pneumática.
• Um Respiron®, que irá ajudar na fisioterapia respiratória (junto com a meia, podem ser encontrados em casas cirúrgicas, mas a nossa equipe do Instituto Pró-Gastro poderá ajudá-lo nessa aquisição).

NO HOSPITAL

Momentos antes da hora de sua operação você sairá de seu quarto para o centro cirúrgico. Antes de ir para a sala de cirurgia você poderá ser colocado por alguns instantes na sala de recuperação até que a sala esteja limpa e montada para sua cirurgia. Nesse momento ou logo que você chegar à sala de cirurgia, um profissional de enfermagem, ou mesmo o anestesista deverá vir para pegar sua veia para a anestesia.
Na sala de cirurgia o anestesista fará você dormir com injeções na veia. Daí em diante, você não deve se lembrar de mais nada. A anestesia geral é muito segura e um anestesista ficará sempre ao seu lado. A cirurgia dura menos de 2 horas. Quando você acordar, já na sala de recuperação, enfermeiras estarão ao seu lado com vários equipamentos, isto é normal. Após cerca de 2 horas você será conduzido novamente ao seu quarto. Assim, o tempo entre entrar no centro cirúrgico e voltar para o quarto raramente dura menos que 5 horas
Você poderá notar um dreno na barriga, que ficará por alguns dias e serão retirados sem qualquer dor. É importante que você procure logo se mover, e andar quando solicitado. Tossir e respirar profundamente são importantes para o seu pulmão, limpando o muco que se desenvolve no tempo da anestesia. O Respiron® deve ser usado nesse momento. Você poderá ser auxiliado neste momento por um(a) fisioterapeuta.
Após 2 ou 3 dias sua recuperação já deve ser suficiente para que você tenha condições de alta sem qualquer problema.

APÓS A INTERNAÇÃO

Quando você retornar para casa, você deverá estar andando por si só, porém, sem exagerar. Se você seguir estas orientações nas primeiras semanas, você não terá problemas para adaptação.

• Banho de chuveiro pode ser tomado sem problemas após a cirurgia. Deixe para tomar banhos de banheira ou ir à piscina após a incisão estar já bem cicatrizada. As incisões cirúrgicas devem ser lavadas com água corrente e sabonete, e em seguida deve ser seca. Se for necessário trocar curativo, faça após o banho.
• Andar o máximo possível sem ficar excessivamente cansado. Você deve iniciar com 10 minutos e aumentar a distância que você anda progressivamente a cada dia, em torno de 1 minuto por dia. Após 40 dias da cirurgia, deve ser possível andar 2 a 3 km por dia.
• Se tiver carro poderá dirigi-lo assim que se sentir seguro e sem dor, após pelo menos 10 a 15 dias da cirurgia.
• Procurar ver sempre a cor da urina. Se estiver muito amarela ou mais escura e concentrada, ingerir mais líquidos para evitar problemas renais. A quantidade mínima necessária de líquidos após a cirurgia deve ser aquela que deixa sua urina bem clara. Se isso não for possível, vá ao pronto-socorro do hospital em que operou e peça que avisem alguém da equipe assim que for atendido pelo médico plantonista. Pode ser necessária reposição com soro na veia ou eventualmente internação.
• Após pelo menos 20 dias da cirurgia, e com a incisão bem cicatrizada, massagem tipo drenagem linfática pode ser iniciada.
• Mantenha as suas medicações nas doses habituais. Não deixe de tomar remédios para diabetes, hipertensão, etc, sem que seu médico clinico, cardiologista ou endocrinologista tenha conhecimento e recomende que você faça isso.
• Lembre-se que a alimentação após a cirurgia é o passo de adaptação mais importante de todo o processo, e vai ser orientada única e exclusivamente pela equipe, portanto não deixe de visitar a nutricionista sempre que for solicitado.

O QUE VOCE NÃO DEVE FAZER

• Subir escadas, somente quando for absolutamente necessário
• Levantar objetos, crianças pesadas, nos primeiros dias
• Voltar ao trabalho sem a orientação da nossa equipe
• Ficar sentado ou deitado na mesma posição por longos períodos de tempo
• Ficar sem beber água ou se alimentar

ACOMPANHAMENTO MÉDICO

Você deverá voltar ao consultório com uma freqüência estabelecida, até que o espaçamento das consultas aumente. E então você deverá ser visto pela equipe ao menos uma vez por ano pelo resto de sua vida. Para qualquer dúvida ou problema que tiver deverá comparecer ao consultório ou ao pronto-socorro a qualquer hora - e solicitar que sejam avisados os membros da nossa equipe médica. Serão solicitados vários exames em vários momentos após a cirurgia para controle do metabolismo e para comparação com os exames pré-operatórios.

A ALIMENTAÇÃO E A PERDA DE PESO

Ingerindo alimentos nos horários normais de refeição, a quantidade de alimentos ingeridos diariamente irá decrescer significativamente e a perda de peso ocorrerá gradualmente. Para obter maior sucesso você deverá escolher os alimentos e estabelecer um horário adequado para as refeições. No primeiro mês a perda de peso deve estar próxima de 10% do peso total, e depois desacelera, até estabilizar após cerca de 18 meses.
Nesse período de equilíbrio, você poderá estar com o peso ainda um pouco acima do seu peso ideal. Entretanto, se você se esforçar fazendo exercícios diários, caminhadas e ginásticas, você poderá chegar mais próximo ideal. A média de perda de peso que ocorre é entre 35% e 40% do peso original antes da cirurgia, ou acima de 50% de perda do excesso de peso.
Para aqueles pacientes que ficam com excesso de pele após o emagrecimento, são recomendadas cirurgias plásticas, que serão realizadas após, pelo menos, 18 meses da cirurgia de obesidade, após avaliação da equipe de Cirurgia Bariátrica.

O QUE MUDA APÓS A CIRURGIA?

• Queda de cabelo - pode ocorrer alguns meses após a cirurgia. É transitório e normalmente melhora espontaneamente, principalmente com alimentação adequada orientada pela nutricionista.
• Volume da alimentação - você passará a se alimentar com um volume de comida muito menor. No começo pode haver uma certa dificuldade a se adaptar. Principalmente porque sua fome deve diminuir rapidamente, mas o hábito de comer pode ainda permanecer.
• Atividades físicas - com menos peso você poderá praticar atividades físicas que antes não seriam possíveis, e isso ajuda muito na manutenção da saúde.
• Riscos de doenças - Se você tem diabetes ou hipertensão arterial, a chance de essas doenças deixarem de existir é muito grande. O mesmo acontece com as outras doenças associadas à obesidade, como aumento de triglicérides e colesterol. Se você não tem, a chance de elas ocorrerem também diminui consideravelmente, a ponto de diminuir o risco de óbito após a cirurgia em até 15 vezes.
• Contracepção – Nos dois primeiros anos após a cirurgia o anticoncepcional oral ou injetável deve ser evitado como método anticoncepcional, porque devido à perda de peso rápida, a distribuição de hormônios fica muito comprometida e ele deixa de ser eficaz. Após a cirurgia o melhor método deve ser discutido com seu ginecologista, e pode incluir preservativos, DIU, entre outros.
• Gravidez - não é proibido engravidar, mas como a cirurgia bariátrica pode trazer deficiências de vitaminas e sais minerais a longo prazo, recomenda-se que a gestação ocorra após a estabilização da perda de peso, ou seja, após cerca de 18 meses, sempre com acompanhamento médico conjunto entre a equipe de cirurgia e seu obstetra. Se estiver planejando engravidar, entre em contato para que para que se possa adequar as vitaminas necessárias antes da gestação. Se a gravidez não foi planejada, avise assim que souber.
• Para evitar problemas futuros, serão prescritas algumas medicações por um certo período após a cirurgia, e complementação com vitaminas pelo resto da vida.
• Medicação habitual. É esperado que sua necessidade de medicações para diabetes e hipertensão diminua muito, ou até mesmo não exista após algumas semanas da cirurgia, mas quem vai decidir sobre isso é a equipe médica (em conjunto com seu médico pessoal, se for o caso). Portanto, não mude a dosagem das medicações sem avaliação médica.
• Auto-estima - como você passará a ter um peso mais próximo do normal, todas as atividades poderão ser realizadas como qualquer outra pessoa. Você deve passar a se sentir mais agradável à vista das pessoas e à sua própria. A auto-estima fica elevada, melhorando o relacionamento pessoal.